segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

A JORNADA INTERIOR







“Ao partir numa jornada, é claro que ajuda muito sabermos para onde vamos ou, ao menos, a direção geral que estamos tomando. Entretanto, não podemos esquecer de que a única coisa real sobre a nossa jornada é o passo que estamos dando neste exato momento. Isso é tudo o que existe. 


 Nossa jornada de vida tem um propósito externo e um interno. O propósito externo é o de alcançarmos o objetivo ou destino, realizarmos o que estabelecemos cumprir, adquirirmos uma coisa ou outra, o que, é claro, envolve o futuro. Mas, se o destino ou os passos que vamos dar no futuro tomam tanto nossa atenção que se tornam mais importantes do que o passo que estamos dando agora significa que perdemos completamente o propósito interno da vida, que não tem nada a ver com onde estamos indo ou com o que estamos fazendo, mas tudo a ver com o de que modo.


 Esse propósito interno não está relacionado com o futuro,
 e sim com a qualidade da nossa consciência no...

 O propósito externo pertence à dimensão horizontal de tempo e espaço enquanto o interno diz respeito ao aprofundamento do Ser na dimensão vertical do eterno Agora. Nossa jornada externa pode conter um milhão de passos enquanto a jornada interna só tem um, que é o passo que estamos dando neste exato momento. Quando tomamos maior consciência desse passo, percebemos que ele já contém dentro de si todos os outros passos, assim como o nosso destino

 Esse único passo se vê transformado em uma expressão da perfeição, um ato de grande beleza e qualidade. Ele terá nos levado para dentro do Ser e a luz do Ser brilhará através dele. “Este é tanto o propósito quanto à realização da nossa jornada interior: a jornada para dentro de nós mesmos.”


Eckhart Tolle

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Sinceridade e Autenticidade!

"Sinceridade significa autenticidade – ser sincero, não ser falso, não usar máscaras. Qualquer que seja o seu rosto verdadeiro, mostre-o, custe o que custar. Lembre-se: isso não significa que você tenha de desmascarar os outros; se eles estão felizes com as mentiras deles, compete a eles se decidir. Não saia desmascarando ninguém, porque as pessoas são como são... seja verdadeiro consigo mesmo. Não é preciso que você corrija ninguém no mundo. Se você puder crescer sozinho, será o bastante.

Não seja um reformador e não tente dar lições aos outros, não tente mudar os outros. Se você mudar a si mesmo, será o bastante como mensagem. Ser autêntico significa permanecer verdadeiro consigo mesmo. Como permanecer verdadeiro?

Lembre-se sempre de três regras:

Primeira regra:
Nunca dê ouvidos a ninguém quando dizem o que você deve ser. Ouça sempre a sua voz interior, o que você gostaria de ser; do contrário, vai desperdiçar sua vida inteira... Preste atenção: a coisa mais importante é o seu ser. Não deixe que os outros manipulem você – e eles são muitos; todo mundo está pronto para controlar você, para mudar você, para lhe dar uma orientação que você não pediu. Todo mundo quer ser o guia da sua vida. O guia existe dentro de você; você tem o plano. Ser autêntico significa ser sincero consigo mesmo...

O motivo pelo qual todo mundo parece tão frustrado é que ninguém ouve a própria voz... ouça sempre sua voz interior, e não ouça mais nada. Existem mil e uma tentações ao seu redor, porque muitas pessoas estão mascateando as suas coisas. É um supermercado; o mundo, e todo mundo nele está interessado em vender as próprias coisas a você. Todo mundo é um vendedor. Se der ouvidos a muitos vendedores, você vai ficar louco. Não dê ouvidos a ninguém, simplesmente feche os olhos e ouça sua voz interior. É para isso que existe a Meditação: para ouvir a voz interior.

A segunda regra mais importante: 

– só se você cumprir a primeira regra poderá cumprir a segunda


Nunca use uma máscara. Se estiver com raiva, mostre a sua raiva. É perigoso, mas não sorria, porque isso é ser falso. Mas lhe ensinaram que, quando você está com raiva, deve sorrir. Então seu sorriso torna-se falso, uma máscara – simplesmente um movimento dos lábios e nada mais. O coração está cheio de raiva, veneno, e os lábios sorrindo: você se torna um prodígio de falsidade. Então também se manifesta uma outra reação: quando você quer sorrir, não consegue sorrir. Todo seu mecanismo está de cabeça para baixo porque, quando queria ficar com raiva, você não ficava; quando queria odiar você não odiava. Então você quer amar; de repente, você descobre que o mecanismo não funciona. Então você quer sorrir, você precisa forçar o sorriso. Realmente, o seu coração é todo sorrisos e você quer dar uma boa risada, mas não consegue rir... o sorriso não sai, ou ate mesmo, se sair, será um sorriso apagado e sem graça. Ele não deixa você feliz, você não se entusiasma com ele. Você não irradia nada. Quando quiser ficar com raiva, fique com raiva.

Não há nada errado em ficar com raiva. Se quiser rir, ria. Não há nada errado em dar uma risada. Pouco a pouco você vai ver que todo seu organismo voltou a funcionar direito... não use máscaras; do contrário você vai criar disfunções no seu mecanismo, bloqueios. Existem muitos bloqueios no seu corpo. A pessoa que reprime a raiva fica com a mandíbula bloqueada. Toda a raiva vai para a mandíbula e pára ali. As mãos ficam feias; elas não têm o movimento gracioso de um bailarino, não, porque a raiva chega aos dedos e os bloqueia.

A raiva tem duas saídas para ser liberada: uma são os dentes, a outra são os dedos. Se você reprime alguma coisa, existe no seu corpo alguma parte correspondente à emoção. Se você não quer chorar, os seus olhos vão perder o brilho... porque as lágrimas são necessárias; elas são um fenômeno muito vivo. Quando uma vez ou outra você deixa as lagrimas correrem – quando você realmente chora, você chora de verdade, e as lágrimas começam a correr dos seus olhos – os seus olhos se limpam, se revigoram, recuperando a juventude e a pureza. Lembre-se: se não puder chorar sinceramente, você também não poderá rir, porque essa é a outra polaridade. As pessoas que conseguem rir também conseguem chorar; as pessoas que não conseguem chorar não conseguem rir.


E a Terceira regra sobre a autenticidade...

Permaneça sempre no MOMENTO PRESENTE, porque tanto do passado quando do futuro é de onde vêm todas as falsidades. Porque o que passou, passou; não se preocupe com isso e não carregue como um fardo; do contrário isso não vai permitir que você seja autêntico em relação ao presente. E tudo que não aconteceu ainda não aconteceu. Não se incomode desnecessariamente com o futuro, do contrário ele cairá sobre o presente e o destruirá. Seja verdadeiro em relação ao presente; então, você será autêntico. Nem passado, nem futuro – o momento é tudo. O momento é a eternidade inteira.


Siga essas três regrinhas e você vai conseguir ser sincero, verdadeiro, autêntico. Então, tudo o que você disser será verdade. Comumente, você pensa que precisa tomar cuidado para dizer a verdade; não é isso o que eu estou dizendo. Estou dizendo: crie autenticidade e tudo o que você disser será verdade.

A verdade não é uma coisa lógica. Por verdade eu quero dizer a autenticidade do ser; sem impor nada que você não seja, apenas sendo o que você é,
independentemente dos riscos, nunca se tornando um hipócrita. Se você está triste, fique triste. Esta é a verdade; não a esconda. Não exiba um sorriso falso no rosto, porque esse sorriso falso cria uma divisão em você. Quando você está com raiva e não demonstra a raiva... é porque tem medo de que essa demonstração prejudique a sua imagem, para que as pessoas pensem que você é compreensivo e digam que você nunca fica com raiva. Elas gostam disso e isso é tão gratificante para o ego. Pois ficar com raiva vai prejudicar a sua linda imagem; assim, em vez de prejudicar a imagem, você reprime a raiva. Você está fervendo por dentro, mas por fora continua compreensivo, bondoso, polido, doce. Aí acontece a divisão. As pessoas produzem essa divisão durante a vida inteira; então a divisão se torna absolutamente estabelecida.

Mesmo quando você está sentado sozinho e não há ninguém por perto, e não há necessidade de fingir, você continua fingindo; isso se tornou um hábito arraigado e automático... Então, não é uma questão de ser verdadeiro ou falso; isso acabou por se tornar um hábito...

Por verdadeiro eu quero dizer não fingir. Seja exatamente o que você é – num momento você está triste... e no momento seguinte, se você ficar feliz, não há necessidade de continuar triste – porque também lhe ensinaram a ser sempre coerente, a permanecer coerente...

Assim, não é só quando está triste que você finge sorrisos; quando você quer sorrir, também finge tristeza por causa da idéia completamente estúpida de permanecer coerente. Cada momento tem a sua característica peculiar, e nenhum momento precisa ser coerente com nenhum outro momento. Assim, não é preciso se preocupar com a coerência. Ninguém que se preocupe com a coerência vai se tornar falso porque apenas mente com coerência. A verdade está sempre mudando.

A verdade contém suas próprias contradições – e essa é a substância da verdade, essa é a sua vastidão, essa é a sua beleza. Portanto, se você está se sentindo triste, fique triste – sem nenhuma censura, sem nenhuma avaliação como sendo bom ou mau. Não se trata de ser bom ou mau; isso simplesmente acontece. E quando acontece, deixe acontecer. Quando você começar a sorrir de novo, não se sinta culpado só porque há pouco estava triste; então, como pode sorrir? Quando estiver feliz, seja feliz; não há necessidade de fingir nada. Cada momento tem uma realidade atômica: ele é descontínuo em relação ao momento anterior e não está ligado ao momento futuro.

Cada momento é atômico. Os momentos não se seguem uns aos outros em seqüência; eles não são lineares. Cada momento tem a sua própria maneira de ser e você deve ser isso, nesse momento, nada mais. É isso o que realmente é considerado como verdade.

Verdade significa autenticidade, verdade significa sinceridade. A verdade não é uma coisa lógica. Ela é um estado psicológico de ser verdadeiro – não verdadeiro de acordo com algum ideal, pois, se houver um ideal, você vai se tornar falso. O homem verdadeiro não tem ideais. Ele vive momento a momento; ele sempre vive como se sente no momento. Ele é completamente respeitoso em relação aos próprios sentimentos, às próprias emoções, aos próprios humores. E isso é o que eu quero que as pessoas sejam: autenticas, verdadeiras, sinceras, respeitosas em relação à própria alma."

Osho em Intimidade.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

ACEITAÇÃO DA REALIDADE

PARA OS QUE QUEREM MUDAR O MUNDO À IMAGEM E SEMELHANÇA DE SEUS EGOS.
Considerações médicas: O que você chama de cultura é uma alucinação coletiva. Se você pudesse, acabaria com a guerra, a fome e a pobreza. Se pudesse, eliminaria os exércitos, as armas, o crime e a delinqüência. Se pudesse, protegeria a natureza e cada uma das espécies que a habitam. Se pudesse, mudaria o sistema econômico atual por outro que fomentasse a igualdade de oportunidade para todos os indivíduos. Algo me diz que a lista de coisas que você mudaria é infinita... É um gesto muito bonito de sua parte pensar assim. Lamentavelmente, você não esta aqui para mudar o mundo. A viagem da vida consiste em aprender a aceitá-la e amá-la incondicionalmente! E isso é algo que nunca lhe disseram. Não foi à toa que você nasceu em uma sociedade tão doente e arrogante, desconectada de sua dimensão espiritual por completo. Ninguém sabe nada sobre as leis que regem a ordem perfeita do universo. Você foi educado para mudar aquilo com que não concordasse. Mas o que vem chamando de cultura não é mais que uma alucinação coletiva. É a soma das distorções subjetivas que os seres humanos vêm transmitindo de geração em geração. Sua visão profunda da existência é equivocada, falsa e limitada. Por isso você se ocupa com todos os assuntos, menos os seus. A vida funciona perfeitamente sozinha; não interfira. Em nome da humanidade, por favor, pare de encher o saco!
Composição: Seja a mudança que você quer ver no mundo. Lutar contra a realidade é inútil, embora necessário para que você perceba que é inútil. O sofrimento derivado de tentar mudar o mundo lhe ensina que a única mudança necessária é a que você pode realizar em sua consciência. O melhor que pode fazer pela humanidade é ser feliz e aprender a estar em paz consigo mesmo. Pegue toda energia, o tempo e o compromisso que agora emprega para transformar o exterior e use-os para modificar seu interior. Seja você a mudança que quer ver no mundo. Aja! Mas na direção certa! Primeiro olhe para dentro. Cuide de seus próprios assuntos, Se quiser que o sistema econômico mude, mude sua maneira de ganhar dinheiro, emancipando-se do Papai Estado e da Mamãe Empresa. Se quiser preservar o meio ambiente, consuma menos, ou compre apenas produtos 100% ecológicos. Se quiser que haja mais amor na sociedade, ame ao próximo como a si mesmo. Mas ame primeiro a si mesmo! Pare de ser parte do problema. Isso é tudo. As coisas mudarão por si mesmas, a seu devido tempo e por meio das pessoas certas. Querer mudar o mundo é um déficit de aceitação, que é uma qualidade que se desenvolve quando você compreende que existe um plano pedagógico que rege a ordem do universo e que tudo que acontece é o necessário para que cada ser humano aprenda o que veio aprender.
Tratamento: Acredite que tudo é perfeito do jeito que é. Lembre-se que você não vê o mundo como ele é, e sim como você é. E que não se relaciona com os outros como eles são, e sim conforme a imagem de como deveriam ser segundo seu ponto de vista. A realidade é o grande palco no qual você se projeta diariamente. E também é o grande espelho no qual vê refletidas suas luzes e suas sombras. No momento em que transforma seus defeitos em qualidades, começa a ver a realidade como ela é, completamente neutra e necessária. Assim, todos os conflitos do mundo vão acabar no dia em que a maioria dos seres humanos resolver seus conflitos internos. Seja o primeiro a dar o exemplo. Durante três meses, aceite e ame a realidade como ela é, aceitando-se e amando-se incondicionalmente. Mas disfarce, não conte a ninguém. As pessoas vão se perturbar se ouvirem uma blasfêmia dessas. E dirão que você é uma má pessoa por ser tão frio, insensível e indiferente. Como não vão pensar assim se foram programadas para isso? Na medida do possível, corte o cordão umbilical com a sociedade. Emancipe-se do sistema dentro do sistema. Pare de ler jornais e ver as noticias na televisão. Desligue-se da “Matrix” e conecte-se à sua realidade, deixando de viver no mundo imaginário criado por sua mente e seus pensamentos. Viva o momento presente. E, esteja onde estiver, dê o melhor de si. Sempre.
Efeitos Terapêuticos: Liberte-se do sofrimento transpessoal. É impossível aceitar algo que você ainda não compreendeu. Assim como a água ferve ao atingir cem graus Celsius, quando você acumula certo grau de energia e de treinamento, aumenta seu grau de consciência e, portanto, seu nível de sabedoria sobre as leis que governam a ordem perfeita do universo. Só então é possível que você aceite o que é. Para se beneficiar dessa qualidade, precisa ter desenvolvido a evolução, a correspondência, a equanimidade, a gratidão, a confiança e a obediência. A aceitação provoca uma serie de efeitos terapêuticos (e ao mesmo tempo erradica a vontade de mudar o mundo). Ao cultivar sua inteligência transpessoal, acaba o sofrimento que você se provoca ao se relacionar com a vida.
·      Facilidade para não se perturbar cada vez que lhe falam de uma tragédia que ocorreu do outro lado do mundo;
·      Força para compreender e aceitar que mesmo as coisas que parecem mais terríveis são necessárias para quem as vive;
·      Perda de interesse em ir contra o sistema, empregando sua energia para modificar sua maneira de ganhar e gastar dinheiro;
·      Ataques temporários de lucidez, nos quais deixa que a vida se ocupe dos próprios assuntos;
·      Discernimento para saber quando esta interferindo nos assuntos da vida para não se responsabilizar pelos seus próprios;
·      Diminuição do uso de construções como “tem que”, “deve”, “precisa”, parando de se lamentar pelo estado do mundo por ele não atender à imagem mental que tem dele;
·      Frequentes episódios de "ataraxia", nos quais deixa de distorcer a realidade, detendo para sempre seu sofrimento.
(MAIS SENÊCA, MENOS PROZAC- Clay Newman,2015.)

A vida é a escola à qual vivemos para aprender a viver. Sêneca

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

A paz no MOMENTO PRESENTE , a cada passo...

 O verdadeiro milagre não é caminhar sobre as águas, mas andar sobre a terra, viver o... MOMENTO PRESENTE!!!
 Com concentração, é possível encontrar Deus enquanto lavamos os pratos... observamos uma flor... olhamos nos olhos de uma criança.

Thich Nhat Hanh

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

A LIMPEZA DOS NOSSOS VÍCIOS...

Se a questão é sermos viciados...

Porque não sermos viciados pelo Amor em nós próprios ? 


  Uma forma de encobrirmos os nossos medos são os vícios. Os vícios suprimem as emoções, deixamos de senti-las.

  No entanto, há toda a espécie de vícios, além das drogas. Existe aquilo a que eu chamo os vícios padrão: padrões a que recorremos para evitar viver a nossa vida no momento presente !!!
  Se não quisermos lidar com a situação que se apresenta a nós, se não quisermos estar onde estamos, arranjamos um padrão que nos isola dessa realidade. Para alguns é o vício da gula, para outros são as drogas.

 Podemos cultivar o vício de fazer afirmações positivas ou de fazer coisas que contribuam para o nosso bem!

 Pode ser que a predisposição para o alcoolismo seja genética, mas a opção de alimentar essa doença é sempre uma escolha individual. Frequentemente fala-se de problemas hereditários. Na verdade o que se passa é que a criança aceita o modo dos pais de enfrentarem o medo.
 Outros sofrem de vícios emocionais. Uma pessoa pode ser viciada em encontrar defeitos nos outros. Aconteça o que acontecer, há de haver sempre alguém sobre quem jogar a culpa. "A culpa é deles, fizeram-me isto."

  Pode haver quem tenha o vício de acumular contas. Há pessoas viciadas em dívidas: fazem tudo o que for preciso para estar endividados até os cabelos. E isto, normalmente, não tem nada a ver com o fato de se ter muito ou pouco dinheiro.

  Também podemos ser viciados na rejeição. Onde quer que se vá, atraímos as pessoas que nos rejeitam. Temos um jeitinho especial para encontrá-las. Todavia, a rejeição vinda do exterior é um reflexo da nossa própria rejeição. Se não nos rejeitarmos, ninguém o fará, e se alguém o fizer, também pouco importa. Faça a si próprio a pergunta: "O que é que eu não aceito em mim?"

  Há muitas pessoas viciadas na doença. Estão sempre com qualquer coisa ou então estão muito preocupadas com a próxima. Parecem membros do "Clube da Doença do Mês."

  Se a questão é sermos viciados, porque não nos viciarmos no amor por nós próprios? Podemos cultivar o vício de fazer afirmações positivas ou de fazer coisas que contribuam para o nosso bem!
(Louise Hay)

NOTA DO BLOG: (ADOTE O “VÍCIO” DO AMOR PRÓPRIO E SEJA O COCRIADOR DA SUA PRÓPRIA EXISTÊNCIA)!!!

terça-feira, 25 de outubro de 2016

BUSCA OU ENTENDIMENTO?


A Busca se baseia em alguma razão, o Entendimento não tem nenhuma!
A Busca tem esforço e propósito, o Entendimento é espontâneo e sem esforço!
O Entendimento está ausente na busca, enquanto o “buscador” está ausente no Entendimento!
A busca é formada por buscador, buscar e buscado, ao passo que esta trindade está completamente ausente no Entendimento!
A Pesquisa consiste de pesquisa, pesquisador e pesquisado, o Entendimento nega o próprio “pesquisador”!
A Busca é formada por fases, intervalos e talvez algumas práticas, ao passo que o Entendimento é eterno e ocorre apesar disso!
A Busca tem um objetivo, ao passo que o Entendimento em si não possui objetivo.
A Busca tem apoio de ouvir, ler ou refletir, enquanto o Entendimento é autossustentável (independente)!
O temor de esquecer o conhecimento acumulado prevalece na Busca, enquanto até mesmo  o pensamento de ter compreendido está ausente no Entendimento!
O cenário da Busca é a dualidade, enquanto o Entendimento é não-dualidade sem cenário!
A Busca é  um estado sempre mutável, ao passo que o Entendimento é um estado sem estado!
Na Busca existe o cadeado e ocorre a pesquisa pela chave, enquanto no Entendimento prevalece a convicção clara de que cadeado e chave nunca estiveram separados!

Jai Guru – NITIN RAM  (Livro Nada é Tudo de Mohan Gaitonde).


quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Felicidade: Liberte a sua “criança interior"!

Quando se trata de felicidade não é necessário ler muitos livros, assistir a uma centena de workshops ou tirar um curso, basta observar e aprender com os maiores peritos em felicidade: as crianças.
O estado natural de uma criança é sorrir, basta estar junto de uma criança durante alguns minutos para ficar contagiado com a sua alegria. Claro que as crianças também se irritam, mas até aqui pode-se aprender uma ou duas coisas sobre a forma como elas rapidamente esquecem o motivo que as levou a alterarem o seu estado de humor. É normal que quando se passa algum tempo com uma criança se comece a recordar de quando você também era criança e da vida simples e livre de preocupações que levava.
A procura da felicidade é levada a cabo por quase todos os adultos, fique então com algumas lições que as crianças lhe podem ensinar:
Viva no presente
As crianças tem uma forma fantástica de viver a sua vida, vivem apenas um momento de cada vez. Os seus sentimentos são normalmente reflexo de um acontecimento que foi despontado num espaço temporal bastante reduzido, ou seja os seus sentimentos apenas refletem aquilo que lhes está a acontecer naquele momento. Por vezes tem pensamentos negativos, mas é normalmente por disputas relativas aos seus brinquedos, no entanto sempre que se distraem com alguma coisa nova rapidamente se libertam desses pensamentos e emoções.
Nós como adultos temos a tendência de nos mantermos chateados e revoltados bastante tempo depois de a ação que despontou esses sentimentos ter passado. Somos peritos em acumular ressentimentos e preocupações, o resultado é que vivemos mais o passado do que o presente. Neste caso é compreensível que não nos sintamos felizes, quando para nós o presente praticamente não existe e as coisas boas que vão acontecendo permanecem em segundo plano.
Mantém-te focado naquilo que está a fazer
Quando uma criança está entretida com uma qualquer brincadeira ela está APENAS e totalmente concentrada nessa atividade e para ela nada mais importa. Ela não está ao mesmo tempo a pensar no que vai fazer a seguir nem naquilo que devia ter feito.
Os adultos costumam andar permanentemente estressados porque mantém ativas na sua mente atividades passadas e futuras sem se aperceberem que aquilo que verdadeiramente interessa é o que estão a fazer nesse momento. O futuro ainda está para vir e o passado já passou não se pode mudar, apenas podemos ter uma ação efetiva sobre aquilo que estamos a fazer.
Usa a imaginação
Todas as crianças usam e abusam da imaginação, quer estejam a brincar ou a fazer um desenho. Adoram “fazer de conta” e ficam sempre super encantadas com histórias de magia e coisas que são humanamente impossíveis. Mas se pensar um pouco nisso a imaginação é a semente para a alegria. Quando você se deixa levar pelos seus sonhos, são libertadas endorfinas no seu organismo que lhe dão uma sensação de prazer, quase como se já estivesse a viver aquilo que sonha.
É engraçado que em adulto nos esqueçamos de usar a nossa imaginação. Na escola fomos ensinados a ser mais analíticos e a deixar de parte a imaginação. Isso fez com que ficasse-mos mais rígidos em relação aquilo que fazemos e às coisas que achamos possíveis e atingíveis. E quando as coisas não acontecem de acordo com o esperado ficamos chateados, estamos menos suscetíveis a novas possibilidades, tudo porque fomos perdendo a nossa capacidade imaginativa.
O céu é o limite
Para uma criança tudo na vida é possível. O céu é o limite, tem toda a sua vida pela frente e ainda não foram limitados a ficar conformados com o “possível” e “alcançável”, para uma criança basta sonhar e esperar que o sonho se concretize.
Lembra-te que nunca é tarde demais, podes ter 50, 60, 70 ou 120 anos, nunca é tarde demais para realizar os teus sonhos. Basta para isso que não permitas que te digam que não é possível ou que o teu tempo já passou, não deixes que os outros limitem as tuas ações. Nem muito menos te deixes conformar com o que tens, procura sempre realizar os teus sonhos. Vive sobre o lema, “alcançar o sonho ou morrer a tentar”, vais ver que qualquer que seja o obstáculo será muito mais fácil sorrir quando sentes que estás no caminho certo.
        Dá mais valor às coisas simples da vida
As crianças estão sempre alegres porque encontram divertimento em todas as coisas, mesmo nas mais simples. Uma criança fica entusiasmada apenas com uma simples borboleta ou quando salta para uma poça de água. Elas não perdem tempo a analisar as situações nem assumem o pior nas pessoas nem nas mais estranhas situações. As crianças mantém as coisas o mais simples possível.
A melhor forma de valorizar aquilo que tens é fazer uma lista com tudo o que tens na tua vida pelo qual estás agradecido. Tenta lembrar-te daquelas coisas simples mas que sem as quais tu não te sentirias feliz. Normalmente é das coisas mais simples que sentimos mais falta quando passamos muito tempo longe de casa ou quando nos separamos de alguém que nos faz sentir feliz. Ser agradecido por tudo o que já temos é um grande passo para te sentires muito mais feliz.
Cultiva bondade interior e confiança nos outros
Todas as crianças têm uma intrínseca bondade e inocência. Elas não fazem nada com intenção de magoar ninguém nem pensam que alguém a queira magoar. Sem esse tipo de intenções ou preocupações é fácil estar apenas alegre durante todo o dia.
Imagina como seria o mundo se todos nós pudéssemos trabalhar em conjunto com confiança mútua. Os adultos deveriam aprender com as crianças e colocar de lado as suas diferenças e olharem uns pelos outros. O amor gera felicidade.
Tem plena confiança em ver concretizados os teus desejos
É incrível a confiança que as crianças têm de que os seus desejos serão concretizados. Por diversas vezes vi uma simples criança dominar completamente um adulto com a sua persistência e sem nunca desistir de acreditar que vai conseguir os seus intentos. Acreditem que não é fácil resistir aos seus olhares profundos nem aos seus sorrisos rasgados, acabamos sempre por ceder.
Será que os adultos acreditam da mesma forma de que os seus sonhos serão realizados? Provavelmente não. Estamos demasiado viciados em preocupações desnecessárias e as nossas crenças limitam as nossas possibilidades. Mais uma vez aprende a viver sob o lema “alcançar o sonho ou morrer a tentar”, não se limite. Acreditar que é possível faz com que passe a ser possível. Apenas depende de ti, todas as coisas que existem tiveram início no pensamento de alguém.
Sumamente, para alcançar a verdadeira felicidade, temos de deixar a criança que existe em nós assumir o controle. Estar junto das crianças ajuda. Ao revelar a criança que tens em ti vais começar lentamente a deixar de necessitar carregar o fardo do stress e das preocupações. Vais sentir-te muito mais leve em busca da felicidade e verás que ela surgirá por si na tua vida.
Fonte: Blog:neurocrescimento Via: (Portal Arco Iris – Fátima dos Anjos).