PROPÓSITOS


FORMALIZAÇÃO DO INSTITUTO VORTEXPSI

Dando sequência aos nossos propósitos abaixo destacados, comunicamos que finalmente conseguimos obter o CNPJ/ endereço fiscal para darmos continuidade as atividades do Instituto Vortexpsi, sob tutela legal de uma ONG sem fins lucrativos.

Abaixo detalhamos essas informações:

INSTITUTO VORTEXPSI
CNPJ: 30.711.042/0001-00
ENDEREÇO FISCAL: Rua: Augusto Mielke, 120 – Box 02 Bairro: Vila Baependi - Jaraguá do Sul – S.C CEP: 89.256-030.

A todos envolvidos neste processo, nossa eterna gratidão.

Namastê,

Khalid e Akhila 



MARCA REGISTRADA




É com muita alegria e satisfação que comunicamos o registro junto ao INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial), da marca: VORTEXPSI 
No segmento de : Treinamento e Orientação Pessoal, voltadas para Parapsicologia e  Terapias Holísticas, Alternativas e Complementares.
Além da criação deste blog este foi mais um importante passo na formalização do Instituto VORTEXPSI como uma Entidade Jurídica (Organização sem fins lucrativos), na divulgação dos trabalhos terapêuticos  conforme já evidenciados em nossos propósitos abaixo.



OS PROPÓSITOS DA VORTEXPSI

A Vortexpsi surgiu com a proposta de ser uma Organização não governamental - ONG, orientada para os trabalhos terapêuticos de divulgação (Palestras); atendimento em grupos (workshop) e individuais (consultas), próprias ou em parcerias.

Visa estimular, através de técnicas como meditação; relaxamento induzido; dinâmicas de grupo e outras atividades, a Senso-Percepção como forma de proporcionar a cada ser, o despertar da Consciência: “O testemunhar da transmutação do Ego ao Eu e do Eu ao Uno!”

Busca contribuir para a compreensão da relação entre respiração e pensamento (a respiração como a parte corporal do pensamento e o pensamento como a parte psicológica da respiração), afim de facilitar as mudanças em estados psicológicos (emocional/mental), através da simples observação da respiração; e da consciência corporal!

Conta atualmente com um Blog (www.vortexpsi.net) para a divulgação dos seus trabalhos e assuntos pertinentes a sua linha de atuação. Tem apresentado o ciclo de Workshops “Momento Presente”, em diversas cidades do país, divulgando a sua linha de terapias e praticando diversas técnicas de Senso-Percepção.

Está formalizada como pessoa jurídica, sendo uma Instituição Terapêutica que trabalha em associativismo, com parceiros terapeutas, que compartilhem do mesmo propósito, para atendimentos individuais ou em grupo.

Com base nas próprias experiências existenciais (pessoais e profissionais de seus fundadores), surgiu a ideia de um Livro, o “Momento Presente”, para divulgar – via Palestras e Workshops –diversas das Técnicas Terapêuticas de estímulo a Senso Percepção vivenciadas por eles.

 No mundo Empresarial, incentiva a adoção do uso dessas técnicas de forma diária (grandes empresas dos EUA e Europa já as praticam), tal como a ginástica laboral, acreditando que com isso, será drasticamente reduzido o absenteísmo no trabalho - fato que é bom para as empresas como também para cada trabalhador, pois estimula a busca do autoconhecimento tão necessário para obtenção de um estado de saúde integral (prevenção sempre é mais eficaz do que correção).

Com esses propósitos acima, o Instituto Vortexpsi se disponibiliza, através da ACIJS e da ABRH as quais é filiado, a ministrar gratuitamente para as Empresas, via SIPAT / CIPAS a Palestra: “O Stress no Trabalho: De inimigo a Aliado!”

Assim como também, disponibiliza gratuitamente, para Instituições Terapêuticas interessadas na divulgação do autoconhecimento e saúde integral, a Palestra: “Momento Presente”.

João Ricardo e Elis Regina – Khalid eAkhila.





O PAPEL DO “TERAPEUTA” e as “TERAPIAS DE GRUPO”.
O papel do terapeuta é uma ocupação muito delicada e complexa.
Primeiro: o próprio terapeuta sofre dos mesmos problemas que ele está tentando ajudar nos outros. O terapeuta é somente um técnico, e um técnico em contínuo aprendizado.  Ele pode pretender enganar a si mesmo que ele é um mestre - este é o maior perigo em ser terapeuta - mas somente um pouco mais de entendimento e isto não será mais um problema...    
Segundo: o terapeuta não pode pensar em termos de ajudar os outros. Isto lhe dá a ideia de ser um salvador, de ser um mestre - e pela porta de trás, o ego entra novamente. O terapeuta se torna importante; o terapeuta é o centro do grupo; todo mundo está olhando para “o terapeuta”. O terapeuta deve abandonar a ideia de ajudar. Ao invés de ‘ajudar’ deve usar a palavra ‘compartilhar’...
O terapeuta compartilha o seu insight, seja o que for que ele tenha. O participante não é alguém que é inferior a ele. O terapeuta e o participante estão ambos no mesmo barco; o terapeuta é apenas um pouco mais informado. O terapeuta deve estar atento para o fato de que o seu conhecimento é emprestado. O terapeuta nunca deve esquecer, por nenhum momento, que o que quer que ele conheça, ainda não é a “sua experiência”, e isto irá ajudar as pessoas que estão participando em seu grupo, e os participantes  lentamente começam a se tornar eles mesmos seus próprios terapeutas (auto-terapia).
O terapeuta não é a pessoa que irá curar os problemas psicológicos da outra pessoa. Ele pode somente criar uma atmosfera amorosa na qual elas podem abrir suas imaginações inconscientes reprimidas, repressões, alucinações e desejos sem nenhum medo de que os outros irão rir delas, com absoluta certeza de que todos irão sentir compaixão e amor por elas.
O terapeuta é apenas um facilitador. Ele agrupa pessoas com distúrbios ou psicologicamente desequilibradas e apenas orienta os trabalhos para que nada saia errado. E se ele puder apoiá-las com alguma ideia, algum insight, alguma observação, ele deveria sempre tornar claro que: "Isto é apenas meu conhecimento, não é a sua experiência" – e cada um deve passar pela sua própria experiência. Se o terapeuta for sincero, honesto, verdadeiro e autêntico, ele nunca irá cair na armadilha de se tornar um mestre, um salvador - na qual é muito simples cair. No momento que o terapeuta se toma um mestre e um salvador - e ele não é – o terapeuta não está nem mesmo ajudando as pessoas, o terapeuta está simplesmente explorando as pessoas, suas fraquezas, seus problemas.
A primeira função do terapeuta é abrir seu coração e deixar que as pessoas saibam que ele é tão humano quanto elas. Ele está sofrendo das mesmas fraquezas, da mesma luxúria, do mesmo desejo de poder, do mesmo desejo por dinheiro. Ele sofre de angústia e ansiedade, sofre do medo da morte.  Abrir seu coração totalmente. Isto irá ajudar aos outros a confiar no terapeuta - que ele não é um enganador. Os dias dos salvadores e profetas já se foram.
O terapeuta está a serviço da vida. Ele tem que criar valores afirmativos da vida vivendo-os ele mesmo, indo para os silêncios de seu coração.  Quanto mais fundo ele for dentro de seu coração, mais fundo ele poderá atingir no coração do outro. Então é uma alegria ser um terapeuta, porque ele chega a conhecer a interioridade dos seres humanos - que é um dos lugares secretos, mais escondidos da vida. E conhecendo os outros o terapeuta conhece mais a si mesmo.
 “ Mas sempre e sempre se lembre: a terapia em si mesma é incompleta. Mesmo a terapia perfeita é somente o primeiro passo. Sem o segundo passo ela é sem sentido.    Assim deixe os participantes no ponto em que eles começam a se mover em direção à meditação. Sua terapia está completa somente quando seus participantes começarem a perguntar sobre meditação. Crie um grande desejo em seus corações pela meditação, e diga-lhes que a meditação é também somente um passo - o segundo passo. Em si mesma também não é suficiente, a menos que ela o guie para a iluminação; esta é a culminação de todo o esforço...”

                             OSHO  

Nenhum comentário:

Postar um comentário